O laçador usa sal fino

Uma cansaço MINDINGO e um sono BRUXULEANTE, eis a combinação perfeita uma insônia cruel. O cidadão fica lá lendo um livrinho e, de repente, tenta passar uma RASTEIRA na situação e deitar como se fosse pegar no sono de forma MIRACULOSA.

Mas sempre acontece de o cara ficar lá revirando-se e sucumbindo de forma MISERÁVEL ao fluxo maroto de pensamentos,  que se apresenta como um DESFILE medonho de coisas desimportantes e, por isso mesmo, PERTUBADORAS . De tanto se retorcer e pegar fogo entre os LENÇÓIS, bate uma fome desgramada.

Essa é a hora FABULOSA em que não resta alternativa que não elencar todas as ocorrências possíveis de CHURRASCARIAS que vêm à mente, numa CARREATA de maminhas e vazios de fazer inveja ao mais dedicado açougueiro da Província da Linguiça de Gente. E, então, chega-se a uma conclusão por demais SOMBRIA: não há uma quantidade decente de boas churrascarias em Porto Alegre.

Say hello to my little friend

Pois bem. Há tempos estava adiando a MIGRAÇÃO para um lugar que me IMPULSIONASSE a escrever mais. Isso é um grande desafio, já que com bastante freqüência e sobre os mais variados temas costumo importunar os leitores do Impedimento. Os demais assuntos acabam relegados às noites insones. Agora, com essa nova maconha chamada TWITTER, a coisa piorou ainda mais.

E, quando as coisas pioram e parece que não há saída, é momento de trocar de bar. Após sair de um emprego fixo, achei que passaria alguns dias, QUIÇÁ meses, deformando o sofá e conhecendo a vizinhança. Mas uma ENXURRADA de trabalho apareceu e, posso dizer com absoluta certeza, eu nunca estive tão envolvido com tantas coisas ao mesmo tempo. E extremamente  FACEIRO com tudo que apareceu, com o que estou fazendo.

Tomando uma cerveja em plena sexta-feira de Carnaval, com Porto Alegre esvaziando-se loucamente, me ocorreu que era um bom momento para iniciar um outro EMPREENDIMENTO. Pouco ambicioso, mas igualmente importante. E lá vamos nós, despacito pra não cansar muito, mas com sincero entusiasmo.

Breaking news

Como muitos sabem, me mudei. Junto das TAREFAS típicas da empreitada e da necessidade de se acostumar a uma nova VIVÊNCIA, apareceu uma CAMIONETE de trabalho. Em outra época talvez eu tomasse PINHO SOL, mas agora confesso estar sentindo extremo prazer em ter muitas coisas para resolver e para desenvolver ao mesmo tempo.

Enfim, depois de SEIS semanas começo a organizar melhor a rotina. Já consegui tirar uma NESGA de tempo para ler, assistir filminhos e olhar para as paredes. Mas ainda falta conseguir vagar sem compromisso pelo bairro e – o que promete ser o HIT do verão – sair de chinelo para tomar umas cervejas na Rua da Praia.